Just another WordPress.com site

Jornal do Brasil

A decisão foi tomada no julgamento de recurso extraordinário do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) contra entendimento da Turma Recursal dos Juizados Especiais Federais de Sergipe, que dera ganho de causa a uma aposentada. Como há milhares de recursos idênticos nas demais instâncias do Judiciário, a matéria foi julgada pelo STF com repercussão geral.

No caso em questão, a aposentada pretendia que o chamado prazo decadencial não se aplicasse aos benefícios concedidos pelo INSS antes de a MP (depois lei ordinária) ter entrado em vigor. A decisão da segunda instância de Sergipe – rejeitada pelo plenário do STF – tinha o apoio de associações de aposentados e, também, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que atuou como amicus curiae (interessado direto na causa). Para a OAB qualquer prazo para benefícios posteriores seria inconstitucional.

O Supremo entendeu, porém, que o prazo é válido independentemente da data de concessão da aposentadoria por garantir a isonomia entre todos os beneficiários da Previdência, e por permitir uma maior previsibilidade dos gastos do INSS.

O relator do recurso foi o ministro Luís Roberto Barroso, para quem é válida a fixação da “regra decadencial” para a reclamação de revisão dos valores dos benefícios, até por que o estabelecimento de um prazo garante a “segurança jurídica”.

No julgamento, em defesa do INSS, a procuradora Lizie Coelho sustentou que se o STF autorizasse prazo diferente para benefícios concedidos antes de 1997, haveria desigualdade em relação aos demais segurados.

“O acórdão (da Turma Recursal de Sergipe) viola o artigo 5 da Constituição, em relação ao princípio da isonomia aos segurados. Cria uma categoria de segurados que poderá rever seus benefícios para sempre. Gerir um orçamento deficitário exige previsibilidade, e o prazo sempre foi de 10 anos”.

O advogado Fernando Queiroz, que falou em nome da aposentada, ressaltou que se o STF desse ganho de causa à recorrida, os beneficiados seriam, apenas, aposentados bem idosos, já que pessoas que tiveram aposentadoria antes de 1997 têm, hoje, mais de 75 anos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Tag Cloud

%d bloggers like this: