Just another WordPress.com site

Folha SP

O auditor fiscal Eduardo Barcellos disse em depoimento à Promotoria ser possível provar que ele fazia entre 2011 e 2012 pagamentos de R$ 20 mil mensais a Antonio Donato -na época vereador pelo PT e que se tornou secretário de Governo e braço direito do prefeito Fernando Haddad.

Um dos acusados de participar da máfia do ISS, Barcellos afirmou aos promotores que sempre telefonava ao petista antes de ir à Câmara lhe entregar o dinheiro.

Donato nega ter recebido qualquer valor do grupo.

O Ministério Público disse que pretende pedir a quebra dos sigilos telefônicos de Barcellos e Donato para fazer o cruzamento de informações.

Se confirmados, os telefonemas podem ajudar a Promotoria a tentar comprovar o recebimento do dinheiro.

Os promotores devem ainda buscar imagens do circuito interno de TV da Câmara.

Barcellos depôs dentro de um acordo de delação premiada, com o objetivo de redução de pena. Se comprovado que mentiu, poderá perder os benefícios do acordo.

Segundo o auditor, as ligações ocorreram de dezembro de 2011 a setembro de 2012, quando teria havido os pagamentos ao então vereador.

Barcellos disse que Donato o procurou solicitando ajuda em sua campanha de reeleição à Câmara. Os R$ 200 mil teriam ido para um caixa 2.

De acordo com a Promotoria, o auditor passou a entregar o dinheiro visando obter cargos na prefeitura caso o partido vencesse as eleições de 2012, o que ocorreu.

Donato deixou a Secretaria de Governo de Haddad anteontem, quando a Folha revelou que ele convidou Barcellos para trabalhar na pasta -atuou ali por três meses.

Para o Ministério Público, essa transferência foi uma retribuição à propina paga.

Além de Barcellos, o também auditor Ronilson Bezerra Rodrigues, apontado como chefe da suposta quadrilha, ganhou um cargo no governo Haddad. Rodrigues, que segundo Barcellos também dava dinheiro a Donato, foi indicado pelo petista para a diretoria de Finanças da SPTrans.

Donato nega ter recebido dinheiro do grupo. Disse que nunca recebeu nada da “quadrilha”, como ele se refere, somente dados técnicos durante a campanha.

O ex-secretário disse ainda que, quando soube de suspeitas contra Barcellos, mandou retirá-lo da secretaria. O auditor disse aos promotores que pediu para sair porque estava cansado de “não fazer nada”.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Tag Cloud

%d bloggers like this: